Existe Profissão Ideal?

Ao contrário da maioria dos blogs e artigos que falam sobre escolha da profissão, a intenção aqui não é ajudar ninguém a escolher o melhor curso na faculdade. É incrível, mas mesmo nos dias atuais as pessoas ainda confundem muito as duas coisas (faculdade e profissão). Podemos dizer que elas estão relacionadas mas aqui iremos além disso. Também nos dias atuais ainda vemos que o sistema educacional no Brasil é muito teórico e não apresenta na prática nem metade dos conceitos explicados em sala de aula.

O objetivo aqui é mostrar que independentemente de você ter cursado ou estar formado em biologia, por exemplo, é possível trabalhar em outras áreas. O seu curso técnico ou a sua faculdade não é o fim e sim o meio para que você consiga alçar voos mais altos.

Não pretendo afirmar aqui que não se deve fazer uma faculdade ou curso técnico. Mas é fato que muitas pessoas formadas não tem o mesmo sucesso que muitas pessoas que nunca passaram na porta de uma faculdade. Na minha opinião a faculdade pode sim ajudar na busca por melhores oportunidades de trabalho, mas ela não é o mais importante. Isso parece óbvio, mas desde pequenos somos ensinados (e passamos isso aos nossos sucessores, mesmo que inconscientemente) que se formos à escola, tivermos boas notas e formos ótimos alunos, arrumaremos um bom emprego e seremos pessoas de sucesso felizes para sempre. Então, nesse e nos próximos artigos pretendo clarear muitos pontos relacionados a isso para que a gente possa refletir sobre e tirar nossas próprias conclusões.

guia de profissoes

Mas e quanto ao título do artigo? Existe profissão ideal? Na minha opinião, definitivamente não! Mas existe uma forma de você conseguir chegar bem próximo do “seu ideal” e se dar muito bem, mesmo que essa profissão não esteja tão “em alta” para o mercado de trabalho no momento.

A forma ideal de se “calcular” as profissão ideal precisa ser baseada em três pontos importantes. Seguindo esses 3 pontos metade do caminho na escolha de onde trabalhar já estará percorrido. É fato que muitas pessoas já conseguem ótimos resultados com dois desses pontos à favor delas, mas estando de acordo com os 3 pontos as suas chances de obter sucesso em sua profissão, tanto pessoal quanto financeiro serão incrivelmente maiores.

Então vamos lá; Funciona assim: Ao escolher a profissão é importante você fazer 3 perguntas principais. Abaixo descrevi as perguntas e o que você deve considerar em sua resposta ao se fazer essas perguntas:

Pergunta Nº 1: Eu gosto disso?

Não basta você entender do assunto, porque já trabalhou com isso há algum tempo, não basta o assunto ter mercado (ser rentável), pois muito provavelmente você vai precisar se empenhar bastante até que ele comece a dar algum retorno para você. E, para conseguir se manter focado, empenhado e continuar no caminho até que você alcance seus objetivos você precisará gostar do que está fazendo. Para acordar todos os dias, mesmo quando não estiver contente e seguir em frente buscando o seu objetivo, você precisará gostar (ou arrumar motivos para gostar) dessa sua escolha.

Pergunta Nº 2: Eu conheço sobre isso?

Como estamos falando de profissões, mesmo que você não tenha nenhum conhecimento sobre a profissão em questão, é importante que você tenha, pelo menos alguma afinidade com ela. Algumas habilidades que sejam importantes para o sucesso dessa profissão. Caso contrário seu caminho será um pouco mais tortuoso. Se você não tiver uma habilidade que considera importante para seguir nessa profissão, tente analisar se a soma de outras habilidades compensam a ausência dessa.

Pergunta Nº 3: Isso tem mercado (dá dinheiro)?

Tendo respondido SIM para as duas primeiras perguntas é importante você fazer uma pesquisa para saber se a sua escolha tem mercado. Ou seja, se há pessoas procurando por isso e se há pessoas que oferecem esse produto / serviço bem sucedidas. Fique atento também à oferta e demanda para saber se esse mercado não é muito, muito específico. Pois quanto mais fechado for o mercado, mais difícil será para você crescer / escalar seus ganhos.

Bom, por enquanto é isso. Espero que esse artigo por si só já tenha clareado um pouco com relação as possibilidades e oportunidades. Mas pretendo se um pouco mais específico nos próximos artigos, com exemplos de quem se deu bem e de quem não teve a mesma “sorte”.

Um forte abraço e até o próximo artigo.


Deixe uma resposta