Browse Author

Cesar

Profissão Super Herói

Um trabalho que está muito em alta é o chamado personagens vivos. Ele pode ser buffet para festa infantil ou em algum aniversário em casa mesmo ou no salão do condomínio do cliente.

Mas o que é o trabalho de personagem vivo, como funciona e o que tem a ver com o título do artigo “Profissão Super Herói”

persoganes-vivos-turma-do-mickey

Com certeza você já foi a alguma feira ou evento onde encontra com pessoas fantasiadas buscando chamar atenção e divulgar determinado produto ou serviço. Também já reparou em campos de futebol ou quadras os mascotes dos times em tamanho família divertindo todos os presentes. Também já deve ter reparado, mesmo que por foto ou vídeo que na Disneylândia, existem muitas pessoas fantasiadas de personagens de filmes e desenhos animados.

Pois bem esses são personagens vivos! Essa tendência não é muito antiga aqui no Brasil e tem criado oportunidades de emprego no ramo de festas e eventos para muitas pessoas e principalmente os jovens.

Isso tem possibilitado o despertar do espírito empreendedor de muitos desses jovens que começam fazendo esse trabalho como “um bico” (atividade paralela), trabalhando para alguém que os contrata e fornece as vestimentas (fantasias) necessárias a caracterização de cada personagem (como por exemplo, Batman, Capitão América, Frozen, Aladdin, branca de neve, Mickey, etc). E após verem que as possibilidades e oportunidades são grandes, começam a empreender, investindo o próprio dinheiro nas fantasias e trabalhando por conta própria.

Talvez para você isso pareça meio óbvio, mas eu que nunca havia me atentado para esse mercado, comecei a abrir os olhos para esse mercado quando, certa vez fui na festa de uma prima da minha esposa em um buffet infantil em campinas, e como ela gosta muito da Rapunzel, chegou uma mulher toda caracterizada, igualzinha à personagem e passou 1 hora com a criança e as amigas. No final, fiquei sabendo que era conhecida da família e acabamos conversando. Eu perguntei se era um trabalho temporário e ela me contou que no caso dela sim, mas que muita gente fazia só isso. Aí eu comentei que deveria ser muito difícil conseguir buffets para trabalhar fazendo personagens vivos e que devia ter muita concorrência. Foi aí que ela me abriu os olhos e disse que na verdade, eles fazem muito mais eventos fora dos buffets infantis do que nos buffets. Essa é a sacada!

Muitas pessoas realizam festas em casa ou no salão de festas do condomínio. Festas um pouco mais simples, mas com a economia de não ter que contratar um buffet infantil para a festa de aniversário, elas contratam uma empresa que realiza esse serviço de personagens vivos. Detalhe, muitas dessas pessoas para diversificar, oferece também o serviço de recreação. Ou seja, se não for do interesse dos pais contratar um personagem, eles podem contratar monitores para acompanharem e brincarem com as crianças.

Isso abre um leque muito maior de oportunidades e cria um mercado imenso para se trabalhar. Pra falar a verdade só nesse seguimento de prestação de serviços para festas infantis já teríamos umas 10 profissões para descrever aqui no nosso guia.

Mas voltando ao papo rápido com a “Rapunzel”, o que torna interessante esse trabalho, na minha opinião é que você não precisa de conhecimento técnico, não precisa fazer investimentos altos (nem mesmo com a vestimenta, pois você pode começar fazendo apenas um personagem. Até que tenha dinheiro para comprar outras fantasias. E aliás, você não precisa comprar, pois uma fantasia não é barata, mas você pode comprar o tecido e pedir para uma costureira fazer. Com a maquiagem e penteado corretos, vai ficar perfeito. E assistir ao filme dessa personagem, claro para saber a falas, o que ela faz, etc, pois certamente será indagado pelas crianças do evento.

Isso no caso dos personagens, pois se formos falar de recreação, basta uma camiseta colorida e calça jeans e pronto, seu figurino está pronto. Aí você terá que dedicar tempo para aprender brincadeiras e relembrar algumas da sua infância para entreter os convidados.

Por mais que o momento financeiro das pessoas não seja muito bom, muitas ainda fazem festas, menores mas fazem e isso ajuda extremamente quem realiza serviços desse tipo.

E a divulgação? Esse é um ramo onde quem precisa desse tipo de serviço procura no google. Ou seja você precisa aparecer no google, na primeira página para esse assunto e para assuntos relacionados. Ainda dando o exemplo daquele buffet infantil que eu fui em na cidade de Campinas/SP, você precisaria aparecer na internet quando as pessoas procurassem por “buffet infantil em campinas”, “personagens vivos em campinas”, “recreação em campinas” e assim por diante. Outra forma importante de conseguir seus primeiros serviços, seria oferece-los para os buffets infantis que você já tenha trabalhado. Devido à grande quantidade de festas que eles fazem seria mais fácil garantir uma quantidade fixa de eventos que (mesmo o buffet infantil pagando menos) garantisse um valor interessante considerando o total de festas.

E ainda tem o bom e velho boca a boca. A melhor propaganda de um serviço é o próprio serviço. Os seus clientes estarão nas festas que você fizer, tanto os pais quanto os filhos, vendo seu trabalho na prática. A forma como você o realizar vai dispensar explicações e vai facilitar muito o fechamento de novos contratos no próprio dia do evento.

 

Bom, é isso, espero que tenha gostado e que esse artigo tenha dado mais uma luz de grandes oportunidades de profissão para você.

Um grande abraço e até o próximo artigo.

Você já pensou em ser um coach?

Olá! Nesse segundo artigo sobre profissões resolvi falar de uma categoria muito badalada nos últimos tempos: É a profissão de Coach. Eu acredito que esse termo esteja atualmente na moda pelo fato de as pessoas, por conta do nosso dia a dia cada vez mais corrido, precisarem (ou acharem que precisam) de uma atenção particular para determinada área de sua vida. A palavra coach vem do inglês e significa treinador, mas há tempos ela não é utilizada para definir apenas um treinador (ou instrutor) “comum”.

Os profissionais de coach tem atualmente como principal função desenvolver determinada área da vida do seu cliente (coachee) e essas áreas têm se tornado cada vez mais específicas. Daí vem o fato de estarem surgindo diariamente nomes de especializações nesse sentido. Por exemplo, há algum tempo um coach empresarial seria responsável pela evolução de seu cliente em todos os âmbitos corporativos. Atualmente como subcategorias do coach empresarial temos coach Corporativo, coach de Inteligência Emocional, coach de Performance, coach de Carreira, e por aí vai…

Mas algo que tenho notado é que o nome coach pode ser e tem sido muito utilizado por pessoas que tem algum conhecimento específico, técnico ou não e que pode agregar valor à vida das pessoas. E é aí que você pode entrar e fazer disso uma profissão. Certamente você tem algum conhecimento (que talvez você não dê muito valor, pois afinal você já tem esse conhecimento) que poderia ensinar outras pessoas através de um vídeo ou artigo. E não necessário um conhecimento, mas uma experiência de vida que você teve. Algo que você levou anos para aprender e que se colocasse em um papel, vídeo ou áudio ajudaria inúmeras pessoas. Isso não é ser coach? Ensinar a uma pessoa algo específico que sozinha ela levaria dias, meses ou até anos para aprender.

É claro que se a gente for discutir o conceito, vamos entrar em um impasse e não vamos sair do lugar. O que estou dizendo é que se você parar de pensar nesses rótulos, vai perceber que pode “criar” uma profissão, começar a se aprofundar nisso e ser uma das poucas pessoas a caminhar contra a crise que estamos passando atualmente. Não acredita? Vamos falar então de “coach de relacionamentos”. Olhando assim, e sem pesquisar nada na internet, você imagina que a pessoa que exerce essa profissão é responsável por ajudar seus clientes a melhorarem os relacionamentos (sejam amorosos ou não), certo? E para isso é importante ele conhecer, estudar o comportamento do ser humano e entende-las, certo? E quem seriam os mais indicados para isso? Se você respondeu “Imagino que psicólogos e psiquiatras”. Errou!

Existe uma minoria de profissionais que trabalha das duas formas. Ou seja, a pessoa é coach de relacionamento e formada em psicologia (ou alguma faculdade relacionada) e aí ela acaba tendo muita vantagem pois tudo se encaixa mais facilmente. Só para explicar melhor, há algum tempo atrás eu estava pesquisando lugares para viajar e por algum motivo gostei da Espanha. Comecei a pesquisar mais sobre o país e acabei me deparando com esse site http://metododelrespeto.com .  O dono desse site é coach de relacionamento para mulheres (segundo ele aprendeu muito com as mulheres da família e ex-namoradas) e também formado psicólogo e conseguiu juntar esse conhecimento para criar uma forma de ajudar mulheres a se relacionarem melhor. E colocou na internet! Eu achei isso fantástico. Ainda mais por ser algo que eu aqui que nem estava na Espanha consegui ter acesso ao conteúdo que, apesar de não estar precisando no momento, poderia ter tido acesso.

É verdade que a maioria dos psicólogos e psiquiatras trabalham (direta ou indiretamente) nessa área, mas, ao contrário do autor do site http://metododelrespeto.com ,  que eu passei como exemplo acima, nem todo coach de relacionamento é também psicólogo ou psiquiatra. Muitos deles apenas ensinam o que aprenderam na prática, dando cabeçada na vida, sofrendo, tentando outra vez e até conseguirem. Após isso, criam uma sequência de passos que não é uma receita de bolo mas já é meio caminho andado na busca por um amor duradouro ou amizades verdadeiras. E isso com certeza ajuda a muitas pessoas.

O que estou querendo dizer nesse artigo é que você não precisa ficar correndo atrás das oportunidades de emprego ou profissões de antigamente. Com a internet tudo mudou. Existem sim oportunidades, mas novas oportunidades. Nesse blog eu vu passar apenas algumas que estão no meu campo de visão. Apenas algumas para você ter ideia de onde partir e como procurar (ou criar). Mas fique sempre alerta ao que o mercado está dizendo a você. E tenho certeza que você encontrará a profissão ideal e que esteja de acordo com seus objetivos.

Existe Profissão Ideal?

Ao contrário da maioria dos blogs e artigos que falam sobre escolha da profissão, a intenção aqui não é ajudar ninguém a escolher o melhor curso na faculdade. É incrível, mas mesmo nos dias atuais as pessoas ainda confundem muito as duas coisas (faculdade e profissão). Podemos dizer que elas estão relacionadas mas aqui iremos além disso. Também nos dias atuais ainda vemos que o sistema educacional no Brasil é muito teórico e não apresenta na prática nem metade dos conceitos explicados em sala de aula.

O objetivo aqui é mostrar que independentemente de você ter cursado ou estar formado em biologia, por exemplo, é possível trabalhar em outras áreas. O seu curso técnico ou a sua faculdade não é o fim e sim o meio para que você consiga alçar voos mais altos.

Não pretendo afirmar aqui que não se deve fazer uma faculdade ou curso técnico. Mas é fato que muitas pessoas formadas não tem o mesmo sucesso que muitas pessoas que nunca passaram na porta de uma faculdade. Na minha opinião a faculdade pode sim ajudar na busca por melhores oportunidades de trabalho, mas ela não é o mais importante. Isso parece óbvio, mas desde pequenos somos ensinados (e passamos isso aos nossos sucessores, mesmo que inconscientemente) que se formos à escola, tivermos boas notas e formos ótimos alunos, arrumaremos um bom emprego e seremos pessoas de sucesso felizes para sempre. Então, nesse e nos próximos artigos pretendo clarear muitos pontos relacionados a isso para que a gente possa refletir sobre e tirar nossas próprias conclusões.

guia de profissoes

Mas e quanto ao título do artigo? Existe profissão ideal? Na minha opinião, definitivamente não! Mas existe uma forma de você conseguir chegar bem próximo do “seu ideal” e se dar muito bem, mesmo que essa profissão não esteja tão “em alta” para o mercado de trabalho no momento.

A forma ideal de se “calcular” as profissão ideal precisa ser baseada em três pontos importantes. Seguindo esses 3 pontos metade do caminho na escolha de onde trabalhar já estará percorrido. É fato que muitas pessoas já conseguem ótimos resultados com dois desses pontos à favor delas, mas estando de acordo com os 3 pontos as suas chances de obter sucesso em sua profissão, tanto pessoal quanto financeiro serão incrivelmente maiores.

Então vamos lá; Funciona assim: Ao escolher a profissão é importante você fazer 3 perguntas principais. Abaixo descrevi as perguntas e o que você deve considerar em sua resposta ao se fazer essas perguntas:

Pergunta Nº 1: Eu gosto disso?

Não basta você entender do assunto, porque já trabalhou com isso há algum tempo, não basta o assunto ter mercado (ser rentável), pois muito provavelmente você vai precisar se empenhar bastante até que ele comece a dar algum retorno para você. E, para conseguir se manter focado, empenhado e continuar no caminho até que você alcance seus objetivos você precisará gostar do que está fazendo. Para acordar todos os dias, mesmo quando não estiver contente e seguir em frente buscando o seu objetivo, você precisará gostar (ou arrumar motivos para gostar) dessa sua escolha.

Pergunta Nº 2: Eu conheço sobre isso?

Como estamos falando de profissões, mesmo que você não tenha nenhum conhecimento sobre a profissão em questão, é importante que você tenha, pelo menos alguma afinidade com ela. Algumas habilidades que sejam importantes para o sucesso dessa profissão. Caso contrário seu caminho será um pouco mais tortuoso. Se você não tiver uma habilidade que considera importante para seguir nessa profissão, tente analisar se a soma de outras habilidades compensam a ausência dessa.

Pergunta Nº 3: Isso tem mercado (dá dinheiro)?

Tendo respondido SIM para as duas primeiras perguntas é importante você fazer uma pesquisa para saber se a sua escolha tem mercado. Ou seja, se há pessoas procurando por isso e se há pessoas que oferecem esse produto / serviço bem sucedidas. Fique atento também à oferta e demanda para saber se esse mercado não é muito, muito específico. Pois quanto mais fechado for o mercado, mais difícil será para você crescer / escalar seus ganhos.

Bom, por enquanto é isso. Espero que esse artigo por si só já tenha clareado um pouco com relação as possibilidades e oportunidades. Mas pretendo se um pouco mais específico nos próximos artigos, com exemplos de quem se deu bem e de quem não teve a mesma “sorte”.

Um forte abraço e até o próximo artigo.